Deputada Rachel MarquesDeputada Estadual Rachel Marques

Direitos Humanos

24/10/2017 | Assessoria de imprensa

Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da AL realiza audiência pública sobre o Genocídio de Travestis e Transexuais no Ceará

Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da AL realiza audiência pública sobre o Genocídio de Travestis e Transexuais no Ceará

A Assembleia Legislativa do Ceará promove, nesta quarta-feira (25), às 14h, no Complexo das Comissões da Casa, audiência pública sobre o Genocídio de Travestis e Transexuais no Ceará. A audiência é uma iniciativa do Grupo de Resistência Asa Branca – GRAB em parceria com a deputada Rachel Marques (PT), presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Casa.

A atividade tem o intuito de debater sobre a grave estatística de assassinatos relacionados população LGBT, especialmente de travestis e transexuais, no Estado do Ceará. Até o presente momento são cerca de 14 casos somente de travestis e transexuais assassinadas, estes, de conhecimento midiático (Rede Trans Brasil), dentre outros. Os dados alarmantes mostram que existe um cenário de completa vulnerabilidade social.

O GRAB, organização da sociedade civil que realiza diversas ações e iniciativas nas áreas da incidência política, Educação, Saúde e qualificação profissional em benefício da população LGBT, afirma que audiência pública proporcionará um espaço de debate no legislativo acerca das medidas que vem sendo tomadas sobre esta problemática no Ceará.

Dário Bezerra, coordenador de Projetos Sociais do Grab, acredita que o debate puxado, pela CDHC da AL com a participação das organizações que pautam a defesa dos Direitos Humanos de LGBT, seja de grande significância para o enfrentamento da LGBTfobia.

“Temos assistido, cotidianamente, tais barbáries sendo noticiadas, sendo que poucos casos são apurados e os culpados punidos. Não vamos nos calar diante dos recorrentes casos de assassinatos em decorrência da ausência de políticas públicas concretas e permanentes ligadas população LGBT, seja na área da Educação, Cultura, Saúde, Segurança Pública, entre outras”, ressalta Dário Bezerra.

Rachel Marques espera que a atividade possa denunciar os casos no Estado e possibilitar o diálogo entre o Governo e os movimentos sociais que discutem os direitos da população LGBT.

“O Brasil é país que mais mata travestis e transexuais e Ceará mostra como esses índices são alarmantes. Mesmo com a aplicação de políticas do governo Camilo Santana, como a assinatura do decreto que permite às transexuais e travestis terem seu nome social respeitado no serviço público estadual, é preciso elaborar mais ações para conscientizar a população sobre a gravidade do problema”, enfatiza a presidenta da CDHC.

>>> Serviço

Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da AL realizará audiência pública sobre o Genocídio de Travestis e Transexuais no Ceará
Data: 25 de outubro de 2017 (quarta-feira)
Horário: 14h
Local: Complexo das Comissões da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará
Mais informações: gabinete da deputada: 85 – 3277.2958/3277.2552 I Assessoria de Comunicação: 85 – 99929.8475/98833.7326